terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Ela não estava sozinha

     Desperto-me do sono e permaneço deitado buscando pelas horas no despertador ao lado cama... 6:40 da manhã. Viro para o outro lado e fecho os olhos para tentar voltar ao sonho... Em algum lugar da rua ouço os gritos de uma mulher que diz: – Você é corno... seu desgraçado... e outras palavras que me fogem a memória... – Em seguida ouço a voz masculina que talvez responda para mulher: – Você não veio pegar seu dinheiro?! Então agora vaza... Some daqui... – Gritos de você é corno continua em conjunto com outros palavrações... Ouço o barulho de um portão de lata batendo forte e os gritos se encerram. Os pássaros contam como em todas as manhã e o som deles adentra pela janela aberta do meu quarto... O vento frio da manhã movimentam as cortinas da janela. Coberto com meu lençol busco voltar dormir... Acordei após um sonho: – Certa vez li que quando se joga Video Games você consegue controlar seus sonhos, seria mais fácil para quem joga na verdade e que qualquer pessoa poderia facilmente controlar seus sonhos com um pouco de treino... Controlar um sonho as vezes pode ser difícil no início e dependendo do sonho, no final você sempre acorda...  Talvez eu já até tenha falado sobre isto, acho que sempre acabo por repetir pensamentos antes de dormir, como se fosse uma conversa com o sono para ele me fazer dormir; de barriga pra baixo, braços esticados e o rosto virado... Um barulho seco ecoa pela janela: – PUM... após alguns segundos o barulho retorna: – PUM... após uma pausa maior: – PUM... Ignoro o som e busco voltar dormir.
     Após um tempo acordo e agora não foi após o controle bem sucedido de um sonho... As sirenes me acordam ao gritar pela janela... Motivado pela vontade de continuar dormindo, levanto para fechá-la... Uma pena porque gosto de manter minha janela aberta... O barulho continua na rua lá em baixo... Pela janela penas sons, não vejo os veículos. Acabo por aceitar que não volto a dormir mais... não conseguiria... não agora. Mais tarde naquela manhã de Janeiro aguando minhas plantas e tomando meu café, reencontro minha vizinha... reencontro porque temos o hábito de aguar nossas plantas e sorrir um ao outro quase sempre no mesmo horário... Como sempre hoje ela sorriu-me, mas contou-me uma triste notícia: – Uma outra vizinha que saía para trabalhar viu tudo, ele batendo com a cabeça dela na parede... Dizem que ele pegou algumas coisas e sumiu... Foi ela quem chamou polícia e ambulância...

Câimbra

Exercício da lei solta os quatro cantos para melhor circulação depois de um longo período em mesma posição.