domingo, 27 de novembro de 2011

Pequeno John

      Oi John! Que pena que não pode me ouvir... Há quanto tempo estou com você John? Seis meses? Doze meses? ...Infernais! Eles foram todos infernais pra você. Você deixa passar tanta tristeza e medo, que fico com pena de você. No início, não notei medo em você. Mas agora, eu só vejo medo no espelho, essas palavras que sai pela sua boca quando começa a chorar no travesseiro, é desespero John?! Você está se matando sem precisar da minha ajuda. Eu até quero ficar quietinho aqui, observando você, sendo uma doença que vai corroendo aos poucos. Agora você coloca um exército contra eu, sabendo que não irá vencer. Você se retorce, tenta me tirar pela boca, pela bunda, mas, só sai partes do que sou. Eu não quero ver você triste assim. Volte ao que você era John. Por que deixou família e namorada? Quando vocês estavam juntos, tudo que eu sentia era uma força terrível, essa força que queria me arrancar de você, eu lutava contra, sempre venci as batalhas, mas, ela sabia que poderia me vencer com o exercito do bem. Então me senti igual você, com medo. Ela se foi... Ela deixou você John! E a culpa é sua, você com seu medo deixou sua força ir. Ela poderia ter me mandado embora John. Mas, parece que você me quer em partes separadas de seu corpo. Quando eu passeio pelo seu corpo, eu vejo meus amigos sorrindo. Alguns eu nem conhecia, eles se multiplicam, eles cantam de felicidade por saber que você está desesperado. John, eles vão acabar com você. Essa é a missão desses kamikazes. Eles morrem e leva você junto. Não é horrível tudo isto John? Não é horrível saber que você irá sem felicidade, sem alegria de viver?! E o que faz, fica colocando uma arma na boca. Que horrível John! Você quer ir sem que nós façamos isso para você... Mas, você ainda tem tempo, não é John? Quando tempo lhe deram? Eu juro que não sei, você e esse exército do bem, eu não sei quanto tempo você tem, mas, estou reagindo, estamos todos felizes aqui. E você John, não é o John que conheci. (...) Ei John, você já ouviu o som que eu faço quando estou feliz? Não?! Você não pode me ouvir... Seria bom John, se você pudesse me ouvir. Poderia trazer aquela sua força de volta, junto com sua família e namorada. Se você os trouxesse, até poderia ganha essa guerra. Mas, você os afasta, então morrerá sozinho e triste, morra John! Pelo suicídio ou por minha presença. Morra John! Morra...